Sarau Cinematográfico Mascate Cineclube (4ª Edição)

Programação:

Ninguém Precisa Ser Herói (Música)

Batalha da Feira Livre (Rima/ Hip Hop)

Filme “Peripatético” (Cinema)

Filme “Nós,Carolinas” (Cinema)

Filme “Caxangá” (Cinema)

DJ e VJ Fabio Jota (Intervenções Sonoras e Audiovisuais)

Acompanhe nossa página Mascate Cineclube


Sarau Cinematográfico Mascate Cineclube

O Sarau Cinematográfico Mascate Cineclube apresenta mais uma programação  destacando a produção cultural e audiovisual das periferias paulistas.
O evento apresentará uma programação composta por exibições de filmes, bate-papos, intervenções musicais, literatura, projeções audiovisuais com VJ, DJ, batalha de mcs e microfone aberto para o público participante.
Sarau Cinematográfico Mascate Cineclube é um evento multicultural itinerante idealizado pelo Coletivo Mascate Cineclube para promover a produção audiovisual e cultural das periferias paulistas na região da Cidade Ademar e Pedreira na Zona Sul.

Sarau Cinematográfico Mascate Cineclube realizará a 4º Edição na Praça Ligia Maria Salgado Nóbrega (Antiga Feira Livre) entre as Avenidas Cupecê e Rodrigues Montemor com patrocínio do Programa VAI da Secretária Municipal de Cultura de São Paulo.

Entrada Gratuita (Livre)
Dia 13/04 (Sábado)
Horário: 18hs às 21hs

Local

Endereço: Praça Ligia Maria Salgado Nóbrega (Antiga Feira Livre)

Rua Antônio Pinho Azevedo (Esquina com a Avenida Rodrigues Montemor na altura da Avenida Cupecê, 3379)

Jardim Itacolomi – Cidade Ademar (Zona Sul)

Bairro: Balneário São Francisco
Pedreira.
Ponto de Referência: Parada Rodrigues Montemor na altura da Avenida Cupecê, 3379

Realização

Mascate Cineclube

Apoio

Associação Lar Maria Sininha

Jamac – Jardim Miriam Arte Clube

Patrocínio

Programa VAI

Secretária Municipal de Cultura de São Paulo.

 

Releases

 Ninguém Precisa Ser Herói (Música)

A Banda Ninguém Precisa Ser Herói é uma banda autoral formada em Diadema que mistura diversos estilos musicais. A Banda é formada por Bruno Felipe (Voz e guitarra), Maurício Souza (Voz e baixo), Miriam Parpinelli (Voz e guitarra), Cleber Andrade (Bateria) e José Piola (Percussão e instrumentos de sopro).

51454242_2279063065669678_4333335510165487616_n

 

Batalha da Feira Livre (Rima/ Hip Hop)

A Batalha da Feira Livre é organizada por Mcs e Grupos da cena Hip Hop da Cidade Ademar na Zona Sul Paulista. Com mais de 150 edições realizadas, o evento segue resistente no cruzamento entre as Avenidas Cupecê e Rodrigues Montemor todas quintas feiras, reunindo semanalmente jovens das quebradas da região e outras localidades. A Batalha participará da próxima edição Sarau Cinematográfico Mascate Cineclube destacando a potência dos rimadores e grupos da Cidade Ademar realizando ainda intervenções com freestyle, leituras poéticas e apresentações musicais com a participações de Henry Mc, Grupos Beco 99, L.O, Gordex, Kabelo, JC, Silver, Zerax – ZRX e Sallem

56426985_308479986508289_4445626944788103168_n

 

Filme “Peripatético” (Cinema)

O filme retrata momentos marcantes na vida de três jovens: Simone, Thiana e Michel, moradores da periferia de São Paulo. Simone procura o primeiro emprego, Thiana tenta passar no vestibular de medicina e Michel ainda não sabe o que quer fazer de sua vida. A maior do curta foi rodada no bairro de Ermelino Matarazzo, na zona leste de São Paulo, onde vive a diretora. A história se passa em maio de 2006, período no qual a capital paulista sofreu diversos ataques da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital). O filme se inspirou na luta do movimento Mães de Maio, uma reação à violência contra inúmeros jovens inocentes que foram assassinados durante o conflito.

Diretor: Jessica Queiroz
Roteiro: Ananda Radhika

Ano: 2017; Tempo: 15 min; Ficção; Brasil (SP)

21192308_1448584355231768_6217830067405062005_n

 

Filme “Nós, Carolinas” (Cinema)

O Documentário “Nós, Carolinas” traz as vivências e vozes de quatro mulheres que moram em diferentes bairros: Parque Santo Antônio, zona Sul; Jova Rural, zona norte; Perus, região noroeste e Guaianases, na zona leste. Joana Ferreira, Carolina Augusta, Renata Ellen Soares e Tarcila Pinheiro falam o que é ser mulher da periferia em cotidianos particulares, mas conectados pelo recorte de classe, raça e de gênero. Assim como a escritora Carolina Maria de Jesus, que encontrou na escrita um instrumento para superar sua invisibilidade, essas outras Carolinas também invisíveis aos olhos do centro, usam a potência de sua voz para romper silêncios.

Realização: Nós, Mulheres da Periferia;

Tempo: 17min, Ano: 2017, Gênero: Documentário; SP.

nos-carolinas_orig

 

Filme “Caxangá” (Cinema)

A população negra está morrendo, enquanto isso o dia amanhece na favela do Canto da Noite, Exu se veste para iniciar um dia de trabalho, o céu azulou, a xícara quebrou e o dia está só começando, nas estantes da velha casa as lembranças ancestrais, no coração o axé e o tambor que trilham o seu silêncio de cada personagem. Dizem que por onde passar é possível ouvir as crianças, de baixo de cada janela, se não as vozes, o som do tambor que bate em cada coração. A falsa segurança de morar na favela faz com que zinha fume um cigarro por trás das grades da sua própria janela, tem sol, tem polícia no morro e tem futebol. Nanã é quem acolhe todos em sua casa, solteira mãe de treze filhos que vê o dia passar tranquilamente enquanto faz serviços domésticos, atenta a todos os ruídos, pela sua janela notícia que uma bala acaba de ser lançada, o som cessou mas o tambor não parou o culto e o axé tem que continuar.

Direção: Aretha Naomi;

Tempo: 14min; Ano: 2018; Gênero: Documentário, SP

thumbnail_caxanga

 

DJ e VJ Fabio Jota (Intervenções Sonoras e Audiovisuais)

O DJ e VJ Fábio Jota apresenta sua pesquisa musical que reúne as sonoridades da música brasileira, latina, afro – brasileira e batuques do mundo, apresentando também intervenções sonoras e audiovisuais com textos, imagens e beats com referências da produção musica, literatura e audiovisual contemporânea. Formado em Letras, sempre participa de saraus e eventos culturais no ABCD Paulista e cidade de São Paulo. Faz parte do Coletivo Mascate Cineclube desde 2010 com a produção de projetos e sessões cineclubistas nas quebradas paulistas.

IMG_9278

 

 

 

 

Anúncios

Sarau Cinematográfico Mascate Cineclube
 – Comunidade da Fumaça.

42756663_2078491935504530_7820346761171435520_o (1)

Programação

Troça do Ivo Sacudo (Música/ Bloco Carnavalesco)

Radi Oliveira (Literatura)

Marcio Vidal (Literatura)

Filme “Favela da Fumaça” (Cinema)

Filme “Nós,Carolinas” (Cinema)

Filme “Caxangá” (Cinema)

DJ e VJ Fabio Jota (Intervenções Sonoras e Audiovisuais)

Entrada Franca (Grátis)

Dia: 16/02 (Sábado)

Horário: 19hs as 22h00hs

Local: Rua Nova Doroteia s/n ( Campão) Bairro: Balneário São Francisco -Pedreira.
Confirma presença e compartilha o evento no Facebook

Sarau Cinematográfico Mascate Cineclube

O Sarau Cinematográfico Mascate Cineclube está de volta em 2019 com uma programação que destaca a produção cultural e audiovisual das periferias paulistas.

O evento apresentará uma programação composta por exibições de filmes, bate-papos, intervenções musicais, literatura, projeções audiovisuais com VJ, DJ e microfone aberto para o público participante.

O Sarau Cinematográfico Mascate Cineclube é um evento multicultural itinerante idealizado pelo Coletivo Mascate Cineclube para promover a produção audiovisual e cultural das periferias paulistas na região da Cidade Ademar e Pedreira na Zona Sul.

O Sarau Cinematográfico Mascate Cineclube realizará a 4º Edição na Comunidade da Fumaça com patrocínio do Programa VAI da Secretária Municipal de Cultura de São Paulo.

Acompanhe nossa página Mascate Cineclube:

Realização

Mascate Cineclube

Apoio

Associação Lar Maria Sininha

Jamac Jardim Miriam Arte Clube

Patrocínio

Programa VAI

Secretária Municipal de Cultura de São Paulo.

Releases

Troça do Ivo Sacudo

11002579_454367981383266_2979554130068986380_n

Troça do Ivo Sacudo é um Bloco Carnavalesco criado pelos membros do Grupo Maracagueto, Produtores Culturais e Moradores dos Bairros da Pedreira e Jardim Pantanal na Cidade Ademar em 2014. A Troça foi inspirada nas brincadeiras dos grupos carnavalescos de Recife e Olinda no Pernambuco e costuma sair sempre às terças de Carnaval pelas ruas da Cidade Ademar na Zona Sul Paulista.

Radi Oliveira

64418_10200246424620031_1882629920_nRadi Oliveira é poeta, cantora e educadora, mora na Cidade Ademar há muitos anos, realizando ações e eventos nas àreas da cultura e educação na Rede Municipal de Educação de São Paulo. Participou de diferentes eventos com literatura e música em Diadema e região da Cidade Ademar. Fez parte do Grupo Palavreiros de Diadema e a Banda Formigueiro (2003), participou ainda do Programa Poema Falado do Ponto de Cultura Mídias Literárias, Quinta Poética (2010 e 2011) na Casa das Rosas, participação especial no CD “O Canto e a Poesia de João Chaves e a Música de Téo Azevedo, Vol. 4” na faixa “A Filha do Czar” em 2011, além de organizar vários saraus e eventos no Ceu Alvarenga enquanto era Coordenadora de Ações e Projetos Culturais. Radi Oliveira apresentará a intervenção poética Literatura e Canção com participação especial do violeiro Gentil Tadeu

Marcio Vidal

download

Poeta e Mestre em Estudos Comparados de Literatura de Língua Portuguesa pela Universidade de São Paulo – USP, onde concluiu a dissertação “Cooperifa e a Literatura Periférica: poetas da periferia e a tradição literária brasileira”. Tem públicado os livros “21 GRAMAS” (2016), “A Vida em Três tempos” (2013) e “Receitas Para Amar no Século XXI” (2010) e poema original adaptado pelo Coletivo Mascate Cineclube no videopoema Billings 3D.

Filme Favela da Fumaça

images

A documentário “Favela da Fumaça” é resultado da Oficina de Audiovisual realizado por Francisco Glauter do Coletivo Caco de Tela de Cinema e CAP – Coletivos Culturais da Cidade Ademar e Pedreira na comunidade da Favela da Fumaça. O filme foi produzido a partir de um roteiro desenvolvido pelos participantes e captado pelos moradores da comunidade.

Realização: Comunidade Favela da Fumaça/ Coletivo de Cinema Caco de Tela e CAP-Coletivos Culturais da Cidade Ademar e Pedreira

Tempo: 11min; Gênero: Documentário; Ano: 2014; SP.

Filme “Nós,Carolinas”

nos-carolinas_orig

“Nós, Carolinas” traz as vivências e vozes de quatro mulheres que moram em diferentes bairros: Parque Santo Antônio, zona Sul; Jova Rural, zona norte; Perus, região noroeste e Guaianases, na zona leste. Joana Ferreira, Carolina Augusta, Renata Ellen Soares e Tarcila Pinheiro falam o que é ser mulher da periferia em cotidianos particulares, mas conectados pelo recorte de classe, raça e de gênero. Assim como a escritora Carolina Maria de Jesus, que encontrou na escrita um instrumento para superar sua invisibilidade, essas outras Carolinas também invisíveis aos olhos do centro, usam a potência de sua voz para romper silêncios.

Realização: Nós, Mulheres da Periferia; Tempo: 17min, Ano: 2017, Gênero: Documentário; SP.

Filme “Caxangá”

thumbnail_caxanga

A população negra está morrendo, enquanto isso o dia amanhece na favela do Canto da Noite, Exu se veste para iniciar um dia de trabalho, o céu azulou, a xícara quebrou e o dia está só começando, nas estantes da velha casa as lembranças ancestrais, no coração o axé e o tambor que trilham o seu silêncio de cada personagem. Dizem que por onde passar é possível ouvir as crianças, de baixo de cada janela, se não as vozes, o som do tambor que bate em cada coração. A falsa segurança de morar na favela faz com que zinha fume um cigarro por trás das grades da sua própria janela, tem sol, tem polícia no morro e tem futebol. Nanã é quem acolhe todos em sua casa, solteira mãe de treze filhos que vê o dia passar tranquilamente enquanto faz serviços domésticos, atenta a todos os ruídos, pela sua janela notícia que uma bala acaba de ser lançada, o som cessou mas o tambor não parou o culto e o axé tem que continuar.

Realização: Aretha Naomi; Tempo: 14min; Ano: 2018; Gênero: Documentário, SP

DJ e VJ Fabio Jota (Intervenções Sonoras e Audiovisuais)

dsc06107

O DJ e VJ Fábio Jota apresenta sua pesquisa musical que reúne as sonoridades da música brasileira, latina, afro – brasileira e batuques do mundo, apresentando também intervenções sonoras e audiovisuais com textos, imagens e beats com referências da produção musicalliteratura e audiovisual contemporânea. Formado em Letras, sempre participa de saraus e eventos culturais no ABCD Paulista e cidade de São Paulo. Faz parte do Coletivo Mascate Cineclube desde 2010 com a produção de projetos e sessões cineclubistas nas quebradas paulistas.

Edital Mascate Cineclube: lista de aprovados.

No dia 10 de novembro de 2018 abrimos nosso primeiro edital para o Prêmio Mascate Cineclube. As inscrições foram prorrogadas para 14 de dezembro do mesmo ano. Tivemos inscrições para produzir curtas de gêneros variados e dentre os inscritos o Coletivo Mascate Cineclube definiu os 3 projetos mais aderentes ao Edital e com propostas mais inovadoras. Confira abaixo a lista de aprovados.

Projeto: Balde de ilusões. Proponente: Hiris Cristina Ribeiro de Almeida, Arte em si. – Com pendência.

Projeto: Samba e Cidadania no Jardim Miriam.

Proponente Luana Carolina Santos Vieira, coletivo da disciplina – Com pendências

Projeto: Jorge Guerreiro.

Proponente Thiago Souza Fernandes, Compadre filmes – Com pendências

Todos os grupos que se inscreveram, irão receber um e-mail com um parecer sobre sua aprovação ou reprovação. Lembrando que as pendências devem ser encaminhadas até o dia 11/01 sexta – feira, no e-mail mascatecine@gmail.com

Agradecemos a todos que se inscreveram e parabenizamos os aprovados.

Prêmio Mascate Cineclube “COPRODUÇÃO DE OBRA AUDIOVISUAL”

45776538_193589331528640_667951806340399104_n (1)

Prorrogado até 14 de dezembro de 2018.

O Coletivo Mascate Cineclube lança seu primeiro edital com o 1º Prêmio Mascate Cineclube  patrocinado pelo Programa VAI da Secretária Municipal de Cultura de São Paulo para estimular a produção audiovisual da região da Cidade Ademar e Pedreira na Zona Sul Paulista, através de apoio financeiro para novas produções audiovisuais. As produções deverão destacar a inter-relação com a literatura realizadas em formato curta – metragem nos seguintes gêneros audiovisuais: ficção, documentários, videorreportagem, entrevistas literárias, vídeo experimental, videopoema, videoarte, videoperformance, videoclipe ou adaptação livre.

As inscrições estarão abertas de 10 de novembro até 14 de dezembro de 2018

Edital do Prêmio Mascate Cineclube

Anexos-i-ii-iii-iv-e-v